O Blog


"Contraponto – Respeito e Honra”, nome do blog, originou-se da troca de comentários com distinto amigo e leitor, quando da edição de nossa matéria “Painel da Verdade – Honra Nacional”, mais uma em que declinamos nosso ponto de vista a respeito da ignóbil, revanchista e repulsiva Comissão da Verdade, já aprovada pela Câmara Federal, dependendo, atualmente do Senado, cuja respectiva série de comentários se iniciou com a matéria "OEA", editada em dezembro passado, na qual criticamos a posição retrógada daquela Organização quanto aos acontecimentos do Araguaia.

Na matéria que deu ensejo a este blog, presente o agrupamento de propósitos decentes e honestos, sugerimos a criação de um Painel da Verdade, de modo a que se pudesse contrapor ao que de “ordinário” viesse daquela ignomínia, porquanto voltada para o que chamam de apuração dos “casos de graves violações de direitos humanos ocorridos durante a ditadura, assim como sua autoria, ou seja, uma Comissão formada por “sete pensantes”, indicados por “prócere” representante daqueles criminosos e vagabundos movimentos, com o intuito de criminalizar quem, na defesa da ordem constituída e da sociedade, honrou o País até com sua vida (há projeto claro neste sentido, aguardando, quiçá, o momento oportuno para os já conhecidos fins escusos). Processo nefasto e insidioso da quebra de princípios, valores e do respeito à Nação, iniciado após a Lei da Anistia.

Este blog, pois, e dentro do possível, se ocupará de acompanhar o funcionamento da inqualificável comissão, com suas idiossincrasias e inverdades, tal como se sinaliza, manifestando-se quando necessário, de modo a resgatar a verdadeira verdade histórica, como, também, editará comentários, opiniões, fotos, filmes, documentos etc., que forem encaminhados com o objetivo de contrapor os repulsivos atos.

Enquanto não se instala em definitivo, relacionaremos na coluna à esquerda do blog – Arquivos – matérias passadas e atuais, inclusive nossas, relacionadas, direta ou indiretamente, com a retrógada e já ultrapassada ideologia e, algumas, com a imoralidade criminal do "ilegítimo poder", agradecendo antecipadamente a quem conosco colaborar.
____________________________________________


Nós, brasileiros,
Mantemos uma fé comum,
de que o homem conhecerá pão e paz;
conhecerá justiça, honestidade,
liberdade e segurança;
oportunidades e chances iguais de fazer o melhor,
não só na própria pátria, mas em todo o mundo.

Nós, brasileiros de hoje,
estamos passando por um período de suprema prova:
prova da nossa coragem,
da nossa determinação,
da nossa sabedoria,
da essência de nossa democracia.

Se resistirmos a essa prova,
com êxito e honra,
teremos prestado um serviço de histórica importância;
serviço que homens, mulheres e crianças,
honrarão por todos os tempos.

O pior inimigo, não são os corruptos,
políticos e não políticos;
o pior inimigo, somos nós mesmos,
acomodados com a iniqüidade,
ou por ela vencidos.

Ao percebermos o mal que nos faz,
e ao próprio País,
não haverá desafios que não possam ser vencidos;
e por nós serão vencidos,
como poetas da guerra.

E, ao final de tudo,
com orgulho no espírito,
e amor no coração,
poderemos dizer:
nossa pátria, nossa terra,
nossa nação, nosso lar.

Assim vitoriosos,
teremos recuperado nosso passado,
nossa história, nosso civismo, nossa terra,
e, não menos importante, a nós mesmos.

(Flávio Bastos)

__________________________________________________

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Mini XVIII - os setes pecados da guerrilha urbana


Segue o próximo parágrafo do "mini" que não é "mini" do manual do guerrilheiro urbano, conforme já comentando em matéria anterior, e que agora foi batizado de "os setes pecados da guerrilha urbana."

Espero que esse "troço", "resgatado do limbo", de autoria do criminoso ao lado, contribua para que se assuma o respeito e honra pelo País, pretendidos aniquilar pelo podre poder podre.
_________________________


Los Siete Pecados de la Guerrilla Urbana
Asi como la guerrilla urbana aplica sus tecnicas revolucionarias con rigurisidad y precision obedece a las reglas de seguridad, el todavia esta vulnerable a los errores. No hay una guerrilla urbana perfecta. Lo mas que puede hacer es mantener su esfuerzo en disminuir su margin de error porque no es perfecto. 

Uno de los metodos que podemos utilizar para disminuir el margen de error es conocer los siete pecados de la guerrilla urbana y tratar de evadirlos. 

El primer pecado de la guerrilla urbana es la poca experiencia. La guerrilla urbana, ciega por su pecado, piensa que el enemigo es estupido, no considera su inteligencia, creyendo que todo es facil y, como resultado, deja huellas que pueden causar su desastre. 

Por su poca experiecia, la guerrilla urbana puede sobrestimar las fuerzas del enemigo, creyendo que el es mas fuerte que ellas. Dejandose burlar por su presumpcion, la guerrilla urbana entonces se intimida, se queda inseguro e indecisivo, paralizado y falto de audacia. 

El segundo pecado de la guerrilla urbana es alabarse de sus acciones que ha completado y decírselo a los cuatro vientos.

El tercer pecado de la guerrilla urbana es vanidad. La guerrilla urbana que padece de este pecado trata de resolver sus problemas de la revolucion con acciones eruptando en la ciudad, pero sin preocuparse acerca de los principios y de la supervivencia de la guerrilla en las zonas rurales. 

Cegado por su triumfo, el empieza por organiva y que pone en juego todas las fuerzas y recursos de la organizacion. Ya que la cio que no podemos evadir ni romper mientras que en la guerrano ha eruptado todavia y no esta al punto del triumfo, nosotros siempre corremos el error fatal de permitir que el enemigo nos ataque con golpes decisivos. 

El cuarto pecado de la guerrilla urbana es de exagerar su fuerza y tratar de hacer proyectos que le faltan fuerzas y, todavia, no tiene la infraestructura requerida. El quinto pecado del guerrillero urbano es la accion precipitada. El guerrillero urbano que comete este pecado pierde la paciencia, sufre un ataque de nervios, no espera por nada, y se tira impetuosamente a la accion, sufriendo perdidas inapreciables. 

El quinto pecado del guerrillero urbano es la accíon precipitada. El guerrillero urbano que comete este pecado pierde la paciencia, sufre un ataque de nervios, no espera por nada, y se tira impetuosamentea la accion, sufriendo reveses que no necesitan mencionarse. 

El sexto pecado del guerrillero urbano es el atacar al enemigo cuando esta mas enojado. 

El septimo pecado del guerrillero urbano es el de no planear las cosas, y el actuar improvisadamente. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário