O Blog


"Contraponto – Respeito e Honra”, nome do blog, originou-se da troca de comentários com distinto amigo e leitor, quando da edição de nossa matéria “Painel da Verdade – Honra Nacional”, mais uma em que declinamos nosso ponto de vista a respeito da ignóbil, revanchista e repulsiva Comissão da Verdade, já aprovada pela Câmara Federal, dependendo, atualmente do Senado, cuja respectiva série de comentários se iniciou com a matéria "OEA", editada em dezembro passado, na qual criticamos a posição retrógada daquela Organização quanto aos acontecimentos do Araguaia.

Na matéria que deu ensejo a este blog, presente o agrupamento de propósitos decentes e honestos, sugerimos a criação de um Painel da Verdade, de modo a que se pudesse contrapor ao que de “ordinário” viesse daquela ignomínia, porquanto voltada para o que chamam de apuração dos “casos de graves violações de direitos humanos ocorridos durante a ditadura, assim como sua autoria, ou seja, uma Comissão formada por “sete pensantes”, indicados por “prócere” representante daqueles criminosos e vagabundos movimentos, com o intuito de criminalizar quem, na defesa da ordem constituída e da sociedade, honrou o País até com sua vida (há projeto claro neste sentido, aguardando, quiçá, o momento oportuno para os já conhecidos fins escusos). Processo nefasto e insidioso da quebra de princípios, valores e do respeito à Nação, iniciado após a Lei da Anistia.

Este blog, pois, e dentro do possível, se ocupará de acompanhar o funcionamento da inqualificável comissão, com suas idiossincrasias e inverdades, tal como se sinaliza, manifestando-se quando necessário, de modo a resgatar a verdadeira verdade histórica, como, também, editará comentários, opiniões, fotos, filmes, documentos etc., que forem encaminhados com o objetivo de contrapor os repulsivos atos.

Enquanto não se instala em definitivo, relacionaremos na coluna à esquerda do blog – Arquivos – matérias passadas e atuais, inclusive nossas, relacionadas, direta ou indiretamente, com a retrógada e já ultrapassada ideologia e, algumas, com a imoralidade criminal do "ilegítimo poder", agradecendo antecipadamente a quem conosco colaborar.
____________________________________________


Nós, brasileiros,
Mantemos uma fé comum,
de que o homem conhecerá pão e paz;
conhecerá justiça, honestidade,
liberdade e segurança;
oportunidades e chances iguais de fazer o melhor,
não só na própria pátria, mas em todo o mundo.

Nós, brasileiros de hoje,
estamos passando por um período de suprema prova:
prova da nossa coragem,
da nossa determinação,
da nossa sabedoria,
da essência de nossa democracia.

Se resistirmos a essa prova,
com êxito e honra,
teremos prestado um serviço de histórica importância;
serviço que homens, mulheres e crianças,
honrarão por todos os tempos.

O pior inimigo, não são os corruptos,
políticos e não políticos;
o pior inimigo, somos nós mesmos,
acomodados com a iniqüidade,
ou por ela vencidos.

Ao percebermos o mal que nos faz,
e ao próprio País,
não haverá desafios que não possam ser vencidos;
e por nós serão vencidos,
como poetas da guerra.

E, ao final de tudo,
com orgulho no espírito,
e amor no coração,
poderemos dizer:
nossa pátria, nossa terra,
nossa nação, nosso lar.

Assim vitoriosos,
teremos recuperado nosso passado,
nossa história, nosso civismo, nossa terra,
e, não menos importante, a nós mesmos.

(Flávio Bastos)

__________________________________________________

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Assalto em andamento


Acabo de ler no site da Folha.com que a dona Ana de Hollanda, titular da pasta da Cultura, meterá a mão em 14,4 milhas da sociedade, para contribuir na construção do museu do cefalópode, ficando por conta do município de São Bernardo do Campo, mais 3,6 milhas: total do assalto ao dinheiro público, somente para instalações físicas: R$ 18 milhões. 

Isto sem considerar a pretensa doação de um terreno pelo prefeito de São Paulo para algo, agora, chamado de instituto.

Dinheiro público tem serventia para tudo e todo e qualquer interesse, político ou não, menos, evidentemente, para o cidadão que, por vezes, aplaude, na estupidez ou na ignorância do entusiasmo, ações tais, na aceitação de sua continua e contumaz normalidade.

Como é moda fazer museu para tudo que é lado, a fim de imortalizar o ego doentio (basta lembrar Sarney e FHC), mais um absurdo criminal terá lugar com a utilização de dinheiro público (em que pese eventual participação privada), provavelmente sem manifestação do MP, ação da sociedade ou qualquer ato outro qualquer que impeça a indevida aplicação de recursos públicos na pretendida perenidade de retrógada demagogia ideológica.

Já não há mais limites ou freios para a falta de vergonha e de respeito para com o País. Com a consumação da hipocrisia, já imagino o séquito de inqualificáveis a andar pela Nação, como se esta a eles pertencesse.

Aproveitando-se a idéia, poder-se-ía pedir auxílio financeiro para a dona da Cultura visando a construção, no coração de Brasília, do Museu da Vergonha, no qual os brasileiros poderiam "reverenciar o País". Talvez com ele, quem sabe, princípios e valores possam ser recuperados. 

Segue a reportagem da Folha:
_________________________

União dá R$ 14 milhões a museu de Lula no ABC

BERNARDO MELLO FRANCO
DE SÃO PAULO

A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, e o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho (PT), vão anunciar amanhã o início da construção de um museu que lembrará as greves de metalúrgicos comandadas pelo ex-presidente Lula no ABC.

As obras devem custar R$ 18 milhões aos cofres públicos, sendo R$ 14,4 milhões do governo federal e R$ 3,6 milhões do município. O valor inclui apenas as despesas com instalações físicas.

O anúncio será feito um dia antes do primeiro ato público de Lula após o desaparecimento do câncer na laringe, sábado, também em São Bernardo. Ele dividirá o palanque com Marinho, que tenta a reeleição, e Fernando Haddad, pré-candidato do PT a prefeito de São Paulo.

O Museu do Trabalho e do Trabalhador será erguido num terreno de cerca de 10 mil m2ao lado do Paço Municipal, um dos cenários das greves que antecederam a criação do partido.

Entre as principais atrações, está prevista uma sala que vai recriar, com recursos  audiovisuais, o ambiente das reuniões a céu aberto lideradas pelo fundador do PT.

"Não é um museu do Lula, mas é evidente que ele terá uma presença muito forte. Queremos que o visitante se sinta como se estivesse dentro de uma assembleia de trabalhadores", diz Marinho.

Segundo o petista, a parte exterior do edifício deve ganhar uma coleção de ferramentas antigas. "Incluindo um torno similar ao que o Lula usava quando perdeu o dedo", anima-se Marinho.

O convênio com o Ministério da Cultura foi assinado em 2010, mas atrasou devido a problemas burocráticos e só agora começará a sair do papel, com um repasse inicial de R$ 1 milhão da União.

A obra começará pela demolição do prédio que abrigava o antigo mercado municipal da cidade, e poderá ser acompanhada pelo prefeito da janela de seu gabinete.

De acordo com aliados, Marinho, ex-ministro do Trabalho e da Previdência no governo Lula, quer usar o museu como símbolo de sua gestão como prefeito.

Ele é cotado para disputar o governo de São Paulo em 2014, mas afirma não ter intenção de concorrer.

O petista quer recorrer à Lei Rouanet, mecanismo de renúncia fiscal do Ministério da Cultura, para bancar os gastos com o interior do museu. "Isso pode ser mais caro ou mais barato que o prédio. Ainda não sabemos", diz.

MEMORIAL

O projeto do ABC deve ser o segundo museu com referências à trajetória de Lula construído simultaneamente na região metropolitana.

Ontem, vereadores do PSDB paulistano voltaram a adiar a votação do projeto que autoriza a cessão ao Instituto Lula de um terreno oferecido pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD) para o Memorial da Democracia, na região da cracolândia.

O líder tucano Floriano Pesaro tenta convencer os colegas a realizar audiências públicas sobre o tema, numa tentativa de adiar o começo das obras.

O memorial receberá o acervo de Lula na Presidência e, segundo o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, ainda não tem orçamento definido.

"Só os estudos devem custar alguns milhões. O total pode chegar a R$ 40 milhões, R$ 60 milhões. Temos que fazer os projetos antes."

Ele disse que pretende obter financiamento privado, mas não descartou a possibilidade de firmar convênios com o poder público.



_________________________

2 comentários:

  1. "Não há contrapartida alguma que, de fato, respeite a Lei Orgânica quanto à doação de uma área como essa, de quase 20 milhões de reais, para um instituto privado. Aliás, a Lei Orgânica determina que a transferência seja onerosa, ou seja, que o Instituto Lula pague pela área para que o Governo do Município possa usar esse recurso nessa ou em outra área, fazer investimentos em habitações sociais, enfim, nas mais diversas carências que há na cidade de São Paulo – Cidade que não tem carência de um memorial à democracia. Não somos contra a doação de terreno público para organizações não governamentais, desde que elas tenham caráter público e gratuito – o que não é o caso do Instituto Lula." - Vereador Floriano Pesaro - Líder da Bancada do PSDB na CMSP. Bravo!

    ResponderExcluir
  2. Olá Gabriel,
    Obrigado pela visita ao blog, acompanhada dos comentários do Vereador Floriano Pesaro, a quem encaminhei o seguinte e-mail:

    "Prezado Vereador,

    Há pouco acessei um dos meus blogs, o Contraponto - Respeito e Honra, encontrando comentário atribuído à sua pessoa, esperando moderação - política do google - na matéria acima identificada, conforme abaixo:

    "Não há contrapartida alguma que, de fato, respeite a Lei Orgânica quanto à doação de uma área como essa, de quase 20 milhões de reais, para um instituto privado. Aliás, a Lei Orgânica determina que a transferência seja onerosa, ou seja, que o Instituto Lula pague pela área para que o Governo do Município possa usar esse recurso nessa ou em outra área, fazer investimentos em habitações sociais, enfim, nas mais diversas carências que há na cidade de São Paulo – Cidade que não tem carência de um memorial à democracia. Não somos contra a doação de terreno público para organizações não governamentais, desde que elas tenham caráter público e gratuito – o que não é o caso do Instituto Lula." - Vereador Floriano Pesaro - Líder da Bancada do PSDB na CMSP. Bravo!

    Considerando a "profissão do momento" - político - tal como atualmente se apresenta aos olhos da sociedade, não é desarrazoado pressupor que alguém possa ter deitado as linhas em seu nome, daí minhas cautelas.

    De qualquer forma, publicarei seus comentários no campo próprio, como, também, na página central do blog, acompanhados destas linhas.

    Ao desenvolver a matéria não considerei o disposto na Lei Orgânica do Município, considerei, como lá salientado, a satisfação de doentio ego com a utilização de recursos públicos federais e municipais na única satisfação de interesses pessoais e individuais, sem qualquer relação, direta ou indireta, com os interessses da sociedade, interesses estes que devem ditar o norte da atuação política: a sociedade, aliás, é a favor desta ignomínia?.

    Política não é profissão, mas demonstração de espírito voltado ao desenvolvimento do corpo social que representa, no conceito que determina a constituição, instituição, manutenção, defesa e crescimento dessa mesma sociedade.

    Áreas públicas não devem ser doadas para quem quer que seja, a que título for: áreas públicas devem ser utilizadas, aproveitadas, reaproveitadas, desenvolvidas etc., em benefício do própio corpo social, não há lugar para demagogias ou interesses de outra ordem.

    Quando isto presidir a mente do homem público, sem utopias, a política se mostrará, em sua excelência, comandada por princípios e valores de há muito perdidos e esquecidos.

    A sua visita ao blog, acompanhada dos comentários, me honraram.

    Desejo pleno sucesso na sua empreitada, no desenvolvimento e no alcance de sua idéias e na defesa do patrimônio público de São Paulo.

    Visitei o seu blog, registro meus parabéns.

    Sinceros respeitos.

    Flávio Bastos"

    ResponderExcluir