O Blog


"Contraponto – Respeito e Honra”, nome do blog, originou-se da troca de comentários com distinto amigo e leitor, quando da edição de nossa matéria “Painel da Verdade – Honra Nacional”, mais uma em que declinamos nosso ponto de vista a respeito da ignóbil, revanchista e repulsiva Comissão da Verdade, já aprovada pela Câmara Federal, dependendo, atualmente do Senado, cuja respectiva série de comentários se iniciou com a matéria "OEA", editada em dezembro passado, na qual criticamos a posição retrógada daquela Organização quanto aos acontecimentos do Araguaia.

Na matéria que deu ensejo a este blog, presente o agrupamento de propósitos decentes e honestos, sugerimos a criação de um Painel da Verdade, de modo a que se pudesse contrapor ao que de “ordinário” viesse daquela ignomínia, porquanto voltada para o que chamam de apuração dos “casos de graves violações de direitos humanos ocorridos durante a ditadura, assim como sua autoria, ou seja, uma Comissão formada por “sete pensantes”, indicados por “prócere” representante daqueles criminosos e vagabundos movimentos, com o intuito de criminalizar quem, na defesa da ordem constituída e da sociedade, honrou o País até com sua vida (há projeto claro neste sentido, aguardando, quiçá, o momento oportuno para os já conhecidos fins escusos). Processo nefasto e insidioso da quebra de princípios, valores e do respeito à Nação, iniciado após a Lei da Anistia.

Este blog, pois, e dentro do possível, se ocupará de acompanhar o funcionamento da inqualificável comissão, com suas idiossincrasias e inverdades, tal como se sinaliza, manifestando-se quando necessário, de modo a resgatar a verdadeira verdade histórica, como, também, editará comentários, opiniões, fotos, filmes, documentos etc., que forem encaminhados com o objetivo de contrapor os repulsivos atos.

Enquanto não se instala em definitivo, relacionaremos na coluna à esquerda do blog – Arquivos – matérias passadas e atuais, inclusive nossas, relacionadas, direta ou indiretamente, com a retrógada e já ultrapassada ideologia e, algumas, com a imoralidade criminal do "ilegítimo poder", agradecendo antecipadamente a quem conosco colaborar.
____________________________________________


Nós, brasileiros,
Mantemos uma fé comum,
de que o homem conhecerá pão e paz;
conhecerá justiça, honestidade,
liberdade e segurança;
oportunidades e chances iguais de fazer o melhor,
não só na própria pátria, mas em todo o mundo.

Nós, brasileiros de hoje,
estamos passando por um período de suprema prova:
prova da nossa coragem,
da nossa determinação,
da nossa sabedoria,
da essência de nossa democracia.

Se resistirmos a essa prova,
com êxito e honra,
teremos prestado um serviço de histórica importância;
serviço que homens, mulheres e crianças,
honrarão por todos os tempos.

O pior inimigo, não são os corruptos,
políticos e não políticos;
o pior inimigo, somos nós mesmos,
acomodados com a iniqüidade,
ou por ela vencidos.

Ao percebermos o mal que nos faz,
e ao próprio País,
não haverá desafios que não possam ser vencidos;
e por nós serão vencidos,
como poetas da guerra.

E, ao final de tudo,
com orgulho no espírito,
e amor no coração,
poderemos dizer:
nossa pátria, nossa terra,
nossa nação, nosso lar.

Assim vitoriosos,
teremos recuperado nosso passado,
nossa história, nosso civismo, nossa terra,
e, não menos importante, a nós mesmos.

(Flávio Bastos)

__________________________________________________

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Comentários: Assalto em andamento


  1. "Não há contrapartida alguma que, de fato, respeite a Lei Orgânica quanto à doação de uma área como essa, de quase 20 milhões de reais, para um instituto privado. Aliás, a Lei Orgânica determina que a transferência seja onerosa, ou seja, que o Instituto Lula pague pela área para que o Governo do Município possa usar esse recurso nessa ou em outra área, fazer investimentos em habitações sociais, enfim, nas mais diversas carências que há na cidade de São Paulo – Cidade que não tem carência de um memorial à democracia. Não somos contra a doação de terreno público para organizações não governamentais, desde que elas tenham caráter público e gratuito – o que não é o caso do Instituto Lula." - Vereador Floriano Pesaro - Líder da Bancada do PSDB na CMSP. Bravo!
    ResponderExcluir
  2. Olá Gabriel,
    Obrigado pela visita ao blog, acompanhada dos comentários do Vereador Floriano Pesaro, a quem encaminhei o seguinte e-mail:

    "Prezado Vereador,

    Há pouco acessei um dos meus blogs, o Contraponto - Respeito e Honra, encontrando comentário atribuído à sua pessoa, esperando moderação - política do google - na matéria acima identificada, conforme abaixo:

    "Não há contrapartida alguma que, de fato, respeite a Lei Orgânica quanto à doação de uma área como essa, de quase 20 milhões de reais, para um instituto privado. Aliás, a Lei Orgânica determina que a transferência seja onerosa, ou seja, que o Instituto Lula pague pela área para que o Governo do Município possa usar esse recurso nessa ou em outra área, fazer investimentos em habitações sociais, enfim, nas mais diversas carências que há na cidade de São Paulo – Cidade que não tem carência de um memorial à democracia. Não somos contra a doação de terreno público para organizações não governamentais, desde que elas tenham caráter público e gratuito – o que não é o caso do Instituto Lula." - Vereador Floriano Pesaro - Líder da Bancada do PSDB na CMSP. Bravo!

    Considerando a "profissão do momento" - político - tal como atualmente se apresenta aos olhos da sociedade, não é desarrazoado pressupor que alguém possa ter deitado as linhas em seu nome, daí minhas cautelas.

    De qualquer forma, publicarei seus comentários no campo próprio, como, também, na página central do blog, acompanhados destas linhas.

    Ao desenvolver a matéria não considerei o disposto na Lei Orgânica do Município, considerei, como lá salientado, a satisfação de doentio ego com a utilização de recursos públicos federais e municipais na única satisfação de interesses pessoais e individuais, sem qualquer relação, direta ou indireta, com os interessses da sociedade, interesses estes que devem ditar o norte da atuação política: a sociedade, aliás, é a favor desta ignomínia?.

    Política não é profissão, mas demonstração de espírito voltado ao desenvolvimento do corpo social que representa, no conceito que determina a constituição, instituição, manutenção, defesa e crescimento dessa mesma sociedade.

    Áreas públicas não devem ser doadas para quem quer que seja, a que título for: áreas públicas devem ser utilizadas, aproveitadas, reaproveitadas, desenvolvidas etc., em benefício do própio corpo social, não há lugar para demagogias ou interesses de outra ordem.

    Quando isto presidir a mente do homem público, sem utopias, a política se mostrará, em sua excelência, comandada por princípios e valores de há muito perdidos e esquecidos.

    A sua visita ao blog, acompanhada dos comentários, me honraram.

    Desejo pleno sucesso na sua empreitada, no desenvolvimento e no alcance de sua idéias e na defesa do patrimônio público de São Paulo."

Nenhum comentário:

Postar um comentário